Blog - 10 motivos para você planejar sua aposentadoria.

10 motivos para você planejar sua aposentadoria.
10 motivos para você planejar sua aposentadoria.
 
São várias dicas que “leigos” ou até mesmo profissionais mal esclarecidos dão as pessoas que estão prestes a se aposentar ou requerer o benefício, muitas vezes acabam mais prejudicando a obtenção do benefício do que efetivamente ajudando.

O que ocorre é que, a maioria das pessoas desconhecem quais são os direitos, vantagens e regras fundamentais para garantir a conquista de um benefício previdenciário, e ainda desconhecem como obter o benefício da melhor forma, na melhor época e assim obter valores mais altos.

Tendo essa ideia em mente, o presente artigo mostrará os 10 principais motivos para planejar sua aposentadoria e como evitar os principais erros.
 
Motivo n° 1 - Você não faz ideia de quanto tempo falta para aposentar.
 
É essencial saber a data provável de sua aposentadoria, pois solicitar o benefício na data correta evita que tenha prejuízo ou perca direitos.
Suponha que você terá um salário de R$ 2.000,00 por mês na aposentadoria e que não tem noção de quando irá se aposentar.

Imagine também que não conhece os aspectos das Leis usadas no seu caso, um advogado previdenciário as aplicando, consegue adiantar em 03 anos o seu pedido, assim já esta com o tempo completo aos 49 anos de idade.

Como o pedido foi feito no tempo errado, você perderá 36 meses e mais 03 décimos terceiros de salário, resultando assim no mínimo em uma perda de R$ 78.000,00 aproximadamente.

Assim é importantíssimo estar bem informado sobre o seu direito.
 
Motivo nº 2 – Não saber quais períodos que houve contribuição.
 
Esse é de longe o erro mais cometido. Então você, esta planejamento se aposentar, espera completar determinada idade, imagina o tempo que tem calculado e vai sozinho ao INSS e o que acontece?

Você descobre que uma ou algumas empresas que trabalhou não pagou pelas suas contribuições. Rapidamente então você procura a empresa que trabalhou e descobre que a empresa fechou as portas. Então o que fazer?

Você terá que ingressar com uma ação judicial para poder fazer essa prova, e assim sua aposentadoria que estava programada ficará adiada por mais 03 ou 04 anos além de ter que pagar de 20 a 30% para um advogado especialista, que teria cobrado bem menos por uma ação de reconhecimento de vínculo.

Ou então você trabalhou como empresaria, pagava para o INSS como autônomo, só que tinhas meses que não pagava, ou então você pagava certinho, mas perdeu os comprovantes de pagamento e no INSS não consta esse período.

O fato de não saber se todas as suas contribuições estão corretas prejudica muito para obter aposentadoria, sendo que pode levar ao motivo nº 1.
 
Motivo nº 3 – Você não tem uma perspectiva do valor da sua aposentadoria.
 
Esse erro é consequência direta do motivo nº 2, sendo que se você não sabe quanto tempo possui de recolhimento junto ao INSS certamente você não saberá o valor quando for se aposentar.

Você já estava planejando viajar, comprar uma casa na praia, reformar a casa ou então simplesmente parar de trabalhar, então ao requerer sua aposentadoria recebe uma cartinha no INSS informando que o valor do seu benefício será apenas metade do valor do salário que recebia na ativa.

É importantíssimo saber o valor da futura aposentadoria e descobrir os “macetes” para preparar um pé-de-meia para manter uma boa renda no futuro.
 
Motivo nº 4 – Você não sabe há quanto tempo esta contribuindo com o melhor valor possível
 
Neste ponto, é possível obter uma vantagem econômica de forma imediata, mas como?

Muitas pessoas que trabalham por conta ou tem uma empresa declaram uma renda alta (muitas vezes maior do que os lucros) para ficar com aposentadoria elevada.

No entanto,nem sempre é necessário ficar pagando o valor máximo por mais de 07 anos, podendo assim reduzir a contribuição sem prejudicar a futura aposentadoria, mas como?

Isso acontece porque a legislação brasileira não prevê o cômputo (levado ao cálculo) de 100 % das contribuições. Para chegar ao valor do benefício é feito uma média das 80 maiores contribuições.

No entanto, tal medida somente deve ser adota por profissional especialista que ira orientá-lo por meio de cálculos.
 
Motivo nº 5 – Se contribuir pelo valor máximo às vésperas de solicitar o benefício o valor da aposentadoria vai aumentar?
 
A resposta é não. Até novembro de 1999 a média da aposentadoria era feita pelos três últimos anos de contribuição, assim alguns “sabidos” orientavam as pessoas a pagar sempre pelo salário mínimo e depois elevar para o valor máximo nos 03 ou 04 anos finais, tal prática supostamente iria elevar o valor da aposentadoria.

Contudo, atualmente não funciona mais assim. Se essa estratégia for usada hoje, certamente o valor de aposentadoria não será maior do que um salário mínimo, pois a média utilizada de contribuição é feita com base em todos os salários de contribuição a partir de julho de 1994 sendo descartas apenas as 20 menores contribuições.

Dessa forma, contribuir pelo valor máximo nos 3 ou 4 anos finais, não trará resultados positivos e você estará jogando dinheiro fora.
 
Motivo nº 6 – Você não sabe em qual regra previdenciária se enquadra o seu caso.
 
As regras e leis previdenciárias estão em constantes mudanças, tivemos alterações em 1998, 1999, 2003, 2009 e em 2015, assim os cálculos para se aposentar ficaram muito complexos e são muitos detalhes e variáveis que podem influenciar no cálculo do benefício.

No entanto, você precisa saber qual é a regra previdenciária que vai seguir para ter uma previsão de quanto tempo mais precisa trabalhar e qual o valor da contribuição que tem que pagar para no futuro ter um benefício com valor mais vantajoso.
 
Motivo nº 7 Não saber que existem regras diferentes para ter direito a aposentadoria
 
Atualmente existem inúmeras regras e nomenclaturas previdenciárias, dentre elas temos: teto máximo, média salarial, fator previdenciário, salário de contribuição, regra 85/95, aposentadoria por tempo de contribuição, aposentadoria por idade, aposentadoria especial, ou seja, são várias regras que podem influenciar positivamente ou não no momento de requerer sua aposentadoria.

Assim, se você não sabe quais são essas regras e como funcionam como vai escolher o melhor benefício?

Em qualquer jogo é importante conhecer as regras, e não é porque o recolhimento para o INSS é obrigatório que não existam opções para a melhor forma de se aposentar.
 
Motivo nº 8 - Você não recolheu períodos em que trabalho como autônomo ou empresário.
 
Se você trabalhou como autônomo ou empresário e não recolheu nesse período para o INSS saiba que a legislação permite que você efetue os recolhimentos a qualquer momento.

É preciso, no entanto, comprovar que exerceu a profissão, o que permitirá pagar hoje ao INSS e trazer aos cálculos os anos de 1970, 1980,1990, por exemplo, o que diminuirá o tempo necessário para aposentar.

Assim você pode antecipar vários anos a aposentadoria, mas tenha cuidado é uma técnica muito complexa que deve ser feita com cuidado por especialista.
 
Motivo nº 9 – Não saber que pode ser usado o tempo trabalhado em área rural com família ou na pesca.
 
Quem trabalhou no meio rural em regime de economia familiar ou quem era pescador desde os 12 anos de idade tem o direito a contagem de tempo de serviço. Isso ocorre, pois foram unidas “Previdência Social Urbana” e “Previdência Social Rural” e assim a lei permitiu a contagem de tempo rural sem efetuar o pagamento das contribuições.

No entanto, tem que provar que trabalhou nessas condições: Com a família, sem empregados, e no meio rural. Com prova documental e mais três testemunhas é possível obter a contagem daquele tempo de serviço.

Para os servidores públicos que tem regime próprio de previdência é possível a contagem do tempo no meio rural, contudo, o recolhimento é obrigatório, mas ainda sim há uma enorme vantagem.
 
Motivo nº 10 – Você sabe que existem, mas não sabe como usar o tempo especial, insalubre ou de periculosidade a seu favor.
 
Houve uma mudança na lei que trata sobre o direito do trabalhador em meio insalubre ou periculoso, mas ainda hoje é possível se aposentar com 25 anos de contribuição tanto para homens e mulheres, é possível também converter o tempo insalubre em normal aumentando em 20% para as mulheres e 40% para os homens.

Uma dica importante: não precisa pagar nada a mais por isso para o INSS e consegue antecipar a aposentadoria ou aumentar o valor do beneficio.
Esses são alguns detalhes importantes no momento de requerer sua aposentadoria. Fazer um planejamento previdenciário é sem dúvida o melhor que você pode fazer hoje, considerando o valor custo x benefício.

O planejamento de aposentadoria é sem dúvida a melhor decisão que pode tomar agora, pois apontará um caminho certo para uma boa aposentadoria, evitando assim desperdício de tempo/dinheiro e consequentemente evitará problemas ou decepções.
 
Reforma previdenciária
 
Atualmente vem sendo noticiado pelos meios de comunicação que esta em andamento em Brasília um projeto de reforma das normas previdenciárias. Contudo, tal projeto ainda não foi votado e, portanto ainda não há qualquer alteração nas Leis previdenciárias.

Para aqueles que já atingiram o tempo previsto pela Lei (idade ou tempo de contribuição) tem a seu favor o direito adquirido, ou seja, mesmo com o surgimento de novas regras previdenciárias não o afetarão.

Contudo, as dicas aqui apresentadas não dispensam a análise por um advogado no caso concreto/real. Assim em caso de dúvidas procure sempre um advogado antes de tomar qualquer decisão que poderá lhe influenciar durante muitos anos.

Caso este conteúdo tenha sido útil para você pedimos que curta, compartilhe e comente nas redes sociais.
 

Almeida & Silva Advocacia - Todos os direitos reservados.